O futuro da nanotecnologia

A finger pressing a button, which says "innovation"

A nanotecnologia é uma ciência emergente que se espera venha a ser alvo de importantes e rápidos desenvolvimentos no futuro. Prevê-se que tenha um contributo significativo para o crescimento económico e a criação de emprego na UE durante as próximas décadas.

Segundo os cientistas, a nanotecnologia deverá ter quatro gerações de progresso. Neste momento estamos a viver a primeira ou, talvez, a segunda geração de nanomateriais.

A primeira geração diz respeito à ciência dos materiais com a melhoria de propriedades alcançada pela incorporação de «nanoestruturas passivas», o que pode consistir em revestimentos e/ou utilização de nanotubos de carbono para reforço de plásticos.

A segunda geração utiliza nanoestruturas ativas que, por exemplo devido à sua bioatividade, podem transportar um fármaco para uma célula ou órgão-alvo específicos. Tal pode ser alcançado pelo revestimento de nanopartículas com proteínas específicas.

A complexidade é ainda maior na terceira e quarta gerações. Estas começam por nanosistemas avançados, como a nanorrobótica, e progridem para nanosistemas moleculares para controlar o crescimento de órgãos artificiais na quarta geração de nanomateriais.

 

Segurança integrada na conceção para nanomateriais

O desenvolvimento do conceito de segurança integrada na conceção para nanomateriais está atualmente a ser alvo de investigação científica. A premissa de base: em vez de testar a segurança dos nanomateriais depois de terem sido colocados no mercado, a avaliação de segurança deve ser incorporada na fase de conceção e de inovação no desenvolvimento de um nanomaterial.

O objetivo é proporcionar às empresas uma gestão de riscos mais rentável numa fase inicial do desenvolvimento do processo e/ou do produto.

Categories Display