Medicamento

ComprimidosA nanomedicina é a aplicação da nanotecnologia no tratamento e diagnóstico de doenças. Qual a sua utilização, quais são os seus benefícios e até onde nos levam os desenvolvimentos da nanomedicina?

Os medicamentos são desenvolvidos e comercializados para prevenir, curar ou tratar os sintomas de uma doença ou de uma condição médica. Contêm uma substância ativa que cura a doença ou melhora os seus sintomas, bem como ingredientes inativos, conhecidos como excipientes, que ajudam a fornecer a textura, estabilidade ou veículo para a medicação desejados. Tome como exemplo um comprimido de ibuprofeno, um analgésico comum: o ibuprofeno é a substância ativa que inibe uma enzima envolvida na síntese de moléculas que provocam dor com inflamação e febre, enquanto os ingredientes inativos como o amido, a lactose ou a sílica podem ser utilizados na constituição do comprimido.
 

Qual é a diferença entre os nanomedicamentos e os medicamentos convencionais?

Os nanomedicamentos são sistemas moleculares constituídos por vários componentes diferentes – a substância ativa e um ou mais excipientes ou outros materiais – desenvolvidos a uma escala nanométrica para otimizar diferentes funções. Até à data, a nanotecnologia tem sido aplicada em grande escala para melhorar as propriedades físico-químicas da substância ativa. Pode ser utilizada, por exemplo, para melhorar a solubilidade da substância, mas também para permitir a sua passagem através do sistema imunitário, de modo a que permaneça tempo suficiente na corrente sanguínea para desempenhar a sua função. Um grande número de candidatos a fármacos sintetizados anualmente pelas empresas farmacêuticas revela solubilidade reduzida na água. Um fármaco com solubilidade reduzida demorará muito tempo a dissolver-se no estômago, reduzindo os seus efeitos farmacológicos quando administrado por via oral. A nanotecnologia pode oferecer também uma solução para este tipo de problemas.

A nanotecnologia permite ajudar o medicamento a chegar especialmente às células ou aos órgãos onde é mais necessário. Os nanomateriais podem ser utilizados como transportadores de substâncias ativas que, de outro modo, não poderiam ser utilizadas devido à sua elevada toxicidade, por exemplo alguns fármacos anticancerígenos, orientando a sua entrega apenas para áreas específicas. O resultado é a possibilidade de desenvolver medicamentos menos tóxicos e mais potentes.

Os nanomedicamentos são submetidos aos mesmos processos rigorosos de avaliação de segurança e procedimentos de autorização que qualquer outro medicamento farmacêutico na UE. A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) fornece aconselhamento sobre o processo de autorização e orientações relativamente ao desenvolvimento de medicamentos na área da nanotecnologia.

Categories Display