Tratamento de águas

A nanotecnologia pode ser utilizada no tratamento e purificação de águas, tais como a produção de água doce a partir de água marinha, a prevenção da contaminação ambiental e a criação de técnicas de reabilitação para reduzir a poluição da água e do solo.

Embora atualmente a aplicação de nanomateriais artificiais no tratamento de águas se limite principalmente à sua utilização como adsorventes, filtros, desinfetantes e agentes reativos, estes estão a revelar-se promissores no tratamento de águas e na recuperação ambiental em grande escala.

Um exemplo do potencial dos nanomateriais nesta área é o desenvolvimento de ferro zero valente em escala nanométrica. Este material pode ser utilizado no tratamento de águas subterrâneas e de resíduos perigosos. A utilização de nanomateriais artificiais para limpeza ambiental teve início quando os investigadores descobriram que uma pequena quantidade de partículas de ferro zero valente em escala nanométrica consegue remover das águas subterrâneas contaminantes como os bifenilos policlorados (PCB), conhecidos por serem tóxicos para os seres humanos e para o ambiente, bem como por poderem provocar cancro. Verificou-se igualmente que as nanopartículas de ferro, tais como o ferro zero valente em escala nanométrica, são eficazes no tratamento de vários poluentes da água, como pesticidas, retardadores de chama, antibióticos, crómio, arsénio e metais pesados.

Um nanomaterial, tal como o ferro zero valente em escala nanométrica, possui várias propriedades que o tornam um adsorvente ideal de metais pesados em água contaminada, incluindo:

  • uma área de superfície relativa grande e dimensões pequenas;
  • elevado grau de reatividade;
  • a capacidade de isolar metais pesados;
  • a capacidade de atuar rapidamente;
  • boa capacidade de ligação aos metais; e
  • características estruturais que permitem a regeneração e reutilização do nanomaterial.
     

Exemplo: Remoção de arsénio da água

O arsénio é um semimetal tóxico que está associado a vários tipos de cancro, bem como a outros problemas de saúde. A contaminação das águas subterrâneas por arsénio ocorre naturalmente e tem sido notificada em vários países, incluindo na Argentina, no Bangladesh, no Chile, na China, na Índia, em Taiwan e na Tailândia, bem como alguns países da UE e nos Estados Unidos. O arsénio consegue entrar nas águas subterrâneas de várias formas, por exemplo, através de depósitos naturais, da exploração mineira, da agricultura ou de atividades industriais.

A remoção de arsénio e de outros contaminantes semelhantes da água tem sido uma questão de especial preocupação para a comunidade científica. A utilização de nanoadsorventes para a remoção de arsénio das águas subterrâneas contaminadas tem vindo a demonstrar resultados bastante promissores nos últimos anos.

Categories Display